Imidan: A proteção do seu pomar contra a mosca-das-frutas

As moscas-das-frutas são consideradas um dos principais insetos-pragas em diversos cultivos de frutíferas no Brasil e que causa enormes prejuízos econômicos na fruticultura mundial. O inseto se caracteriza por atacar diversos órgãos reprodutivos das plantas, flores e frutos. Na fase larval do ciclo de vida, a larva se desenvolve especialmente no interior dos frutos e, acaba abrindo galerias enquanto se alimenta da polpa. Este hábito carpófago, provoca amadurecimento precoce, altera o sabor dos frutos e pode até causar o apodrecimento dos mesmos. No Brasil, os principais insetos são dos gêneros Anastrepha e Ceratitis.
Os danos podem ser sentidos em diferentes momentos: Na perda direta de produtividade da cultura, nos danos decorrentes de perdas no momento da comercialização dos frutos e no fechamento dos mercados para exportação, pois alguns Países livres da praga não querem importar produtos que possam transportar o inseto.
As principais plantas hospedeiras de moscas-das-frutas são: acerola, caju, goiaba, manga, maçã, pêssego, citros, entre outras.
MONITORAMENTO E CONTROLE – O monitoramento da população no meio ambiente é crucial, pois define as medidas mais efetivas de controle a serem adotadas.
A principal forma de monitoramento é através da instalação de diferentes armadilhas, contendo atrativos distintos, como por exemplo, Proteína hidrolisada (5%), melaço de cana, açúcares, sucos de frutas e até mesmo misturas de atrativos, com o intuito de fazer a captura dos adultos. As armadilhas servem ainda para detectar a ocorrência de pragas exóticas.
O nível de controle para mosca-das-frutas é de um adulto / armadilha / dia ou de sete adultos /armadilha / semana. O controle pode ser realizado através do uso de iscas tóxicas (contendo substâncias atrativas e inseticidas) ou através da pulverização de inseticidas.
Com o aumento nas temperaturas, principalmente nos meses de janeiro e fevereiro, e com a disponibilidade de hospedeiros (o que favorece a ocorrência e desenvolvimento da praga), é necessário realizar o monitoramento semanal e ao atingir os níveis populacionais deve ser feito o controle químico com o uso de defensivos agrícolas registrados pelo MAPA.
Uma das ferramentas mais eficientes que está à disposição dos produtores de maçã, citros e pêssego é o Inseticida IMIDAN 500 WP (ingrediente ativo: Fosmete, 500g/kg). Por ter um excelente efeito de choque, este inseticida organofosforado de ação de contato e ingestão, é altamente eficiente no controle populacional, encaixando bem dentro do manejo integrado de pragas (MIP) quando disponível e apropriado. IMIDAN está disponível em pó molhável, em embalagem plástica contendo sacos hidrossolúveis. Para uma melhor performance, a faixa ideal de pH da calda de pulverização é 5,5 a 6,0.
Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se a praga alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de manejo de resistência (MRI) poderíamos prolongar a vida útil dos produtos:
– Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
– Utilizar somente as dosagens recomendadas na bula.
– Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o MRI.
Em caso de dúvida, ligue para o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) – 0800 773 2022 ou consulte o engenheiro agrônomo da Cross Link em sua região.