Psilídeo: o maior inimigo da citricultura

O Brasil atualmente se encontra como maior produtor de citros e o maior exportador de suco concentrado de laranja, mas para que a cultura continue tendo tal sucesso no Brasil é necessário estar atento às doenças e pragas que rondam a cultura. Atualmente, o Greening é a principal ameaça à citricultura brasileira.

Em 2004 foram encontradas no estado de São Paulo as primeiras plantas infectadas com Huanglongbing (HLB) ou Greening, uma doença devastadora causada pela bactéria (Candidatus Liberibacter spp.) que pode causar desfolha, seca e morte dos ramos infectados. Hoje em dia não existe porta-enxerto ou copa resistente à essa doença deixando os produtores sem opção tendo que promover o arranquio das plantas infectadas.

Os sintomas de Greening podem ocorrer o ano todo, mas com uma maior incidência no final do verão/início da primavera. É possível perceber a presença da doença no estágio inicial observando os primeiros sintomas que se destacam com um amarelecimento das folhas no ramo infectado, manchas irregulares ou clorose assimétrica. Nos frutos dos ramos infectados geralmente não amadurecem, permanecendo com uma coloração verde claro, formatos irregulares e de tamanho reduzido.

Para que o pomar permaneça seguro e sadio é necessário seguir alguns passos como realizar inspeções das plantas frequentemente, arranquio de plantas infectadas, aquisição de mudas sadias e de origem garantida e o controle do psilídeo (Diaphorina citri) vetor das bactérias causadoras do greening/HLB.

Presente o ano todo no pomar o psilídeo tem uma maior concentração no final do verão e no início da primavera e geralmente é encontrado nas bordas dos pomares, é um inseto pequeno que pode medir até 3 mm, ao se alimentar de plantas infectadas adquire a bactéria Candidatus liberibacter spp. transmitindo a doença para as plantas sadias.

Seu monitoramento deve ser feito semanalmente examinando de 3 a 5 ramos por planta examinada, dando preferência para as brotações. A inspeção deve ocorrer sempre da borda do pomar até o centro, quando um psilídeo é encontrado na borda já pode passar para o próximo talhão, como o inseto é um vetor de uma doença que pode ocasionar a perca de todo um pomar o controle já deve ser realizado quando é notada a presença de apenas um psilídeo.

Uma das principais ferramentas à disposição do citricultor é o inseticida Imidan 500 WP, o único produto formulado à base de fosmete, que pertence ao grupo dos Organofosforados e possui formulação em pó molhável (WP). Imidan 500 WP oferece um ótimo efeito de choque e é uma ferramenta fundamental no manejo integrado de Pragas. Além disso, o produto está inserido na Protecitrus (antiga Lista PIC) e não possui restrições para produção de suco voltado para o mercado internacional. Utilize Imidan (0,5 a 1,0 kg / Bomba) visando o controle do psilídeo  e consulte sempre um engenheiro agrônomo.

 

Em caso de dúvida, ligue para o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) – 0800 773 2022 ou consulte o engenheiro agrônomo da Cross Link em sua região.